Esta montanha sem fim de lixo plástico, acredite, encobre um rio


Terceira maior cidade da Indonésia convocou militares para ajudar a resolver problema de rio inundado por lixo plástico.


Parece que não, mas sob uma densa camada de garrafas, sacolas e outros tipos de plástico, há um rio.


A cena chocante ocorre em Bandung, a terceira maior cidade da Indonésia. Ali, militares precisaram ser convocados para tentar resolver o problema. Chamam o lixo de "seu principal inimigo" e tentam recolhê-lo usando redes.


Mas a tarefa é ingrata: ao mesmo tempo em que eles recolhem uma pequena parcela do lixo, mais e mais montantes de resíduos chegam com as correntezas.



Para o sargento Sugito, que lidera a missão, a tarefa não é fácil.


"Estou lutando com muita dificuldade contra o lixo. Não é um inomigo de combate, (mas) é hoje o nosso maior inimigo", diz ele.


Assim como muitos países em desenvolvimento, a Indonésia é notória por suas montanhas de lixo. Um boom populacional, além de uma explosão de embalagens de plástico no lugar de embalagens feitas de produtos biodegradáveis, como folhas de banana, contribuíram para o aumento de lixo, que agora inunda rios.



O resultado é que autoridades locais são incapazes de lidar com a elevada quantidade de resíduos gerados. E, diante da cultura de jogar lixo em canais e rios, qualquer tentativa de limpeza exigirá uma grande mudança de hábitos e de conscientização.


Em Bandung, autoridades estão apoiando iniciativas de “ecovilas”, onde residentes podem levar itens antigos de plástico e ganhar dinheiro em troca.


Fonte: https://goo.gl/ofzg7y


20 visualizações0 comentário

O projeto Tempo de Aprender em Clima de Ensinar foi criado pela equipe do Laboratório de Meteorologia da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (LAMET/UENF), com o intuito de discutir com alunos e professores de escolas públicas as diferenças entre os conceitos de “tempo” e “clima” através de avaliações e estudos das características da atmosfera.

Criatividade Coletiva