Criatividade Coletiva - Inteligência de Marketing para Eventos

INFORMATIVO

Agricultura brasileira sabe que pode cumprir o Acordo de Paris, diz ministra

04/07/2019

Cumprimento das metas, em vigor desde 2016 e que visam combater mudanças climáticas, foi exigência para fechar acordo comercial entre Mercosul e União Europeia.

 

 

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, afirmou nesta quarta-feira (3) que a agricultura brasileira está em condições de contribuir para que o Brasil cumpra as metas estabelecidas pelo Acordo de Paris, que visa combater as mudanças climáticas.

 

Em vigor oficialmente desde novembro de 2016, o Acordo de Paris tem como objetivo manter o aumento da temperatura média mundial "muito abaixo de 2°C", mas "reúne esforços para limitar o aumento de temperatura a 1,5°C", em relação dos níveis pré-industriais.

 

O acordo foi aprovado por aclamação por representantes de 195 países na COP 21, em dezembro de 2015.

As dúvidas sobre o cumprimento das metas pelo Brasil surgiram depois que o presidente Jair Bolsonaro deu declarações no sentido de que poderia retirar o país do tratado, caso ele não fosse alterado.

 

Na semana passada, porém, diante de pressão de países europeus, o presidente voltou atrás. Em reunião com o presidente Francês, Emmanuel Macron, sinalizou que o Brasil vai continuar no Acordo do Clima de Paris.

 

No mesmo dia, Mercosul e União Europeia anunciaram que chegaram a um acordo comercial que vinha sendo negociado há 20 anos.

 

"O Acordo de Paris não causa nenhum tipo de problema para nós. A agricultura brasileira sabe que pode cumprir as metas do Acordo de Paris", disse a ministra.

 

Desmatamento

 

Ao comentar os dados sobre o desmatamento na Amazônia Legal em junho, que atingiu 920,4 km², um aumento de 88% em comparação com o mesmo mês no ano passado, a ministra afirmou que "esses dados precisam ser melhor avaliados e jogados de maneira mais honesta lá fora".

 

"Tenho certeza que o meio ambiente está vigilante sobre isso, mas não podemos cair na histeria que existe em torno do meio ambiente sem ter certeza", afirmou.

 

Fonte: https://glo.bo/2YyWdwS

Please reload