INFORMATIVO

Tornados no nordeste brasileiro: é possível?

Apesar de extremamente raro, tornados ocorrem no nordeste do Brasil. Esta semana, a formação de uma nuvem funil no município Serra do Mel, Rio Grande do Norte, gerou discussão e curiosidade sobre o assunto.

 

Tornado no município Serra do Mel (RN) chamou a atenção dos internautas esta semana.

 

Tornados são colunas de ar que giram em contato com a superfície que são produzidas por tempestades severas com fortes correntes ascendentes e cisalhamento do vento. Mais frequentemente, os tornados são formados por supercélulas. Neste caso são chamados “Supercell Tornados”. Tornados que não são formados em supercélulas são conhecidos como “Nonsupercell Tornados”.

 

É importante ressaltar a diferença entre tornados e furacões. Estes sistemas são completamente diferentes. O tornado é um evento de pequena escala, caracterizado por um tubo giratório que conecta a base da nuvem ao solo e que tem duração de alguns minutos. O furacão (também chamado de ciclone tropical ou tufão dependendo da localização geográfica) é um evento de grande escala que se forma sobre águas oceânicas quentes nas regiões tropicais e que pode durar dias.

 

Também é importante diferenciar os tornados dos downbursts que são intensas correntes de ventos originados nas tempestades severas que descem em direção a superfície e se espalham provocando grandes destruições nas áreas afetadas.

 

Tornados no Brasil

 

A região sudeste, sul e o estado do Mato Grosso do Sul são extremamente propícias a formação de tornados. A chegada de ar frio e seco vindo dos Andes e da Patagônia somado aos ventos úmidos e quentes da Amazônia e do Chaco geram um ambiente perfeito para a formação de supercélulas e, consequentemente, tornados.

 

Grande parte da população brasileira acredita que tornados não são comuns no Brasil, mas isso é um mito. O que acontece é que a maioria destes sistemas se formam em regiões rurais, onde há um número relativamente baixo de moradores tornando os registros mais escassos.

 

Estudos da NASA (Agência Espacial Americana) mostram que, climatologicamente, a região leste da cordilheira dos Andes (entre o centro-norte da Argentina e o Paraná) é uma das áreas mais propensas a formação de tempestades severas do mundo. A área também é conhecida como o corredor de tonados da América do Sul.

 

Tornados no Nordeste brasileiro

 

Os tornados no Nordeste do Brasil, geralmente, não ocorrem na presença de supercélulas, visto que o cisalhamento vertical do vento na região não é expressivo. Os tornados sem supercélula ocorrem em tempestades intensas, tanto em multicélulas quanto em células isoladas. Alguns Nonsupercell Tornados se estendem da base da tempestade, outros se iniciam na superfície na ausência de nuvem funil. Os tornados sem supercélula podem se formar ao longo de frentes de rajadas. Neste caso, são conhecidos como Gustnados, possuem curta duração de vida e são relativamente fracos.

 

Esta semana, a formação de uma nuvem funil (fenômeno que antecede a ocorrência do tornado) chamou a atenção na Serra do Mel, no Rio Grande do Norte. O fenômeno foi causado por um conjunto de fatores na mesoescala. A superfície do Atlântico tropical está aquecida desde o final de 2019, fornecendo umidade constantemente para a atmosfera. No período de ocorrência do fenômeno desta semana, havia um forte escoamento de leste na costa leste do nordeste que favoreceu a convergência de umidade sobre o continente, assim provocando a formação de tempestades intensas. A nuvem funil formou-se como resultado das frentes de rajada geradas pelas tempestades na região.

 

Fonte

Please reload

Criatividade Coletiva - Inteligência de Marketing para Eventos