Mais granizo em SP e em MG


por Josélia Pegorim


Várias áreas do norte e centro-leste de São Paulo e também do Sul de Minas Gerais voltaram a registrar temporais com granizo na tarde desta terça-feira. Mas o risco de chuva forte e de granizo não acabou. Temporais com granizo podem se repetir até o fim da semana em áreas do Sudeste e também do Sul do Brasil. Antes da chuva, o sol até aparece forte e faz calor.


Na cidade de São Paulo, a chuva foi rápida no fim da tarde, mas houve queda de granizo na Mooca e em Guaianases.


O calor intenso, com temperaturas entre 35°C e 37°C no norte de São Paulo e entre 28°C e 31°C no Sul de Minas Gerais, e a grande disponibilidade de umidade geraram nuvens bastante carregadas, do tipo cumulonimbus, que provocaram chuva forte, granizo e fortes rajadas de vento.

Entre 18h e 19h da terça-feira, 11 de outubro, houve um temporal acompanhado de muitos raios e ventania em Ituverava, no norte do estado de São Paulo. O Instituto Nacional de Meteorologia registrou cerca de 15 mm de chuva acumulada em apenas 1 hora e uma rajada de vento de 90 km/h.


Por volta das 15 horas, nuvens muito carregadas passaram sobre a Academia da Força Aérea, em Pirassununga, e houve uma rajada de vento com 81 km/h.


Estas nuvens carregadas cresceram na tarde de 11 de outubro ao mesmo tempo sobre o norte e centro-leste de São Paulo e sobre o Sul de Minas Gerais, mas alguns núcleos de chuva intensa se deslocaram de São Paulo para o sul mineiro.


Os radares meteorológicos detectaram vários sinais de tempestade, em diversos horários. Nas imagens que reproduzem as áreas de chuva detectada pelos radares, as manchas rosas representam a chuva mais intensa e com grande potencial para a ocorrência de granizo.



Granizada em Ipuiúna (MG)

A região de Ipuiúna, município do Sul de Minas Gerais próximo de Pouso Alegre, teve uma fantástica chuva de granizo na tarde de 11 de outubro de 2016. Este é o terceiro evento de granizada no Sul de Minas, em menos de um mês, e que atinge regiões produtoras de café.

A chuva intensa de granizo derruba o chamado "chumbinho" que é o início da formação do grão de café. A queda deste embrião significa prejuízo, diminuição na produção.


Vários eventos de queda de granizo em grande quantidade já foram observados em setembro e no começo de outubro sobre o Sudeste. A atmosfera ainda está fria. A frequente passagem de ar polar pela costa do Sul e do Sudeste do Brasil que ainda está ocorrendo tem injetado ar frio sobre o centro-sul do Brasil, o que gera acentuado contraste térmico com o ar quente que já predomina no centro-norte do país. Este choque térmico facilita a formação das grandes nuvens de tempestade. Uma das características das nuvens cumulonimbus é que uma parte delas se desenvolve em regiões da atmosfera onde a temperatura está abaixo de 0°C, condição necessária para a formação das pedras gelo dentro da nuvem. Elas caem da nuvem porque, num certo momento, ficam pesadas demais para serem sustentadas pelas correntes ascendentes (da base para o topo da nuvem) que existem dentro das nuvens cumulonimbus.


Fonte: http://www.climatempo.com.br/noticia/2016/10/11/mais-granizo-em-sp-e-em-mg-1309


0 visualização

O projeto Tempo de Aprender em Clima de Ensinar foi criado pela equipe do Laboratório de Meteorologia da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (LAMET/UENF), com o intuito de discutir com alunos e professores de escolas públicas as diferenças entre os conceitos de “tempo” e “clima” através de avaliações e estudos das características da atmosfera.

Criatividade Coletiva