Fotógrafo registra arco-íris ‘fantasma’ nas Terras Altas da Escócia


Enquanto passeava por Rannoch Moor, nas Terras Altas da Escócia, o fotógrafo Melvin Nicholson se deparou com algo totalmente inesperado. Estamos falando de um arco-íris, mas não um arco-íris comum, com cores e tudo mais.


“É uma coisa sensacional de se testemunhar, e isso só pode ser visto, normalmente, quando o sol está atrás de você enquanto você olha para o arco-íris”, explicou Melvin, enquanto descrevia a imagem magnífica que capturou. O fotógrafo também destaca que a neve presente no local criou um cenário ‘mágico’ para a fotografia.


Com magia envolvida ou não, a ciência pode explicar o motivo pelo qual esse arco-íris se apresenta de maneira tão diferente. Essa auréola cinzenta, chamada por alguns pela palavra inglesa ‘halo’, pode ser chamado de “arco de névoa”. Trata-se, basicamente, de um fenômeno semelhante ao arco-íris, mas com uma diferença simples: Em vez das gotas de água que estão caindo refletirem a luz do sol, no caso dos arcos de névoa, as gotas estão suspensas na névoa. Como você pode ter imaginado, as gotas no segundo caso normalmente são menores, e por isso a cor se apresenta dessa forma. No entanto, existem alguns arcos de névoa que apresentam um tom avermelhado.


Fonte: http://www.climatologiageografica.com.br/fotografo-registra-arco-iris-fantasma-nas-terras-altas-da-escocia/


30 visualizações

O projeto Tempo de Aprender em Clima de Ensinar foi criado pela equipe do Laboratório de Meteorologia da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (LAMET/UENF), com o intuito de discutir com alunos e professores de escolas públicas as diferenças entre os conceitos de “tempo” e “clima” através de avaliações e estudos das características da atmosfera.

Criatividade Coletiva