Umidade do ar cai para 7% em Goiânia


por Redação Climatempo


A massa de ar seco que predomina sobre a Região Centro-Oeste do Brasil vem reduzindo drasticamente os níveis de umidade relativa do ar.


Goiânia e Brasília em emergência


O nível de umidade do ar caiu mais em Goiânia na tarde desta terça-feira (29). O aeroporto Santa Genoveva em Goiânia registrou umidade de apenas 7% às 15h e às 16h, o que colocou a cidade em emergência.


De acordo com os dados de estações automáticas do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), as cidades de Jataí, São Simão, Aragarças, Rio Verde, Luziânia, Gama, Silvânia e Caiapônia registraram índices de umidade de 11% às 15h (horário de Brasília).


Desde segunda-feira (28), o estado de Goiás vem sofrendo queda acentuada na umidade relativa do ar. Na base aérea do município de Anápolis, próximo à capital, as medições chegaram a registrar 9% às 15h de segunda.


No Distrito Federal, a capital Brasília teve mais uma tarde muito seca. De acordo com o INMET, o índice chegou a apenas 10% na estação automática do Gama nesta terça-feira.


Valores de umidade relativa do ar abaixo de 12% caracterizam situação de emergência. A Organização Mundial da Saúde recomenda aumentar a ingestão de água durante o dia, evitar exercícios ao ar livre (entre 10h e 16h) e redobrar os cuidados com crianças e idosos.


Novos recordes de temperatura


Pelo segundo dia consecutivo, as cidades de Cuiabá (MT) e de Campo Grande (MS) bateram recorde de calor para o ano de 2017, até agora. De acordo com o INMET a temperatura máxima chegou a 40,7°C na capital de Mato Grosso e a 36,5°C na capital de Mato Grosso do Sul. Estes valores superam as marcas anteriores de ontem (segunda, dia 28) de 39,8°C e de 35,6°C, respectivamente.


Ar continua seco


Nos próximos dias, toda a Região Centro-Oeste continua muito quente e seca. Em algumas localidades, os termômetros passam facilmente dos 32ºC. Esse calorão e a secura do ar estão relacionados a uma grande massa de ar seco que predomina sobre todo o interior do país e está bloqueando o avanço de novas frentes frias.


Colaborou neste texto a estagiária Amanda Sampaio.


Fonte: https://goo.gl/vogg3t



38 visualizações0 comentário

O projeto Tempo de Aprender em Clima de Ensinar foi criado pela equipe do Laboratório de Meteorologia da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (LAMET/UENF), com o intuito de discutir com alunos e professores de escolas públicas as diferenças entre os conceitos de “tempo” e “clima” através de avaliações e estudos das características da atmosfera.

Criatividade Coletiva