Nuvem rara é fotografada em cidade de Minas Gerais


por Josélia Pegorim


Nuvens estranhas, muito diferentes do que normalmente vemos no céu todos os dias surgiram na região da cidade mineira de Lagoa da Prata, na tarde do dia 11 de dezembro de 2017. Muita gente deve se impressionou com a forma das nuvens, com seu aspecto dramático e até assustador. Os habitantes de Lagoa da Prata viram e fotografaram uma nuvem rara!


O que deu a aparência assustadora foi o aspecto ondulado na base da camada de nuvens. A nuvem que se formou em Lagoa da Prata (MG) era uma "nuvem asperitas", uma característica especial que as nuvens podem ter e que só em 2017 foi oficialmente reconhecida e catalogada pela da Organização Meteorológica Mundial (WMO, na sigla em inglês).



A montagem coloca lado a lado a nuvem fotografada em Lagoa da Prata e uma nuvem com a característica "asperitas" que pode ser encontrada no Atlas Internacional de Nuvens da WMO, de consulta pública. São mesmo muito parecidas!


O que é uma nuvem?


A definição de nuvem como está no Atlas Internacional de Nuvens, da Organização Meteorológica Mundial (WMO, na sigla em inglês) diz assim: nuvem é um hidrometeoro constituído de pequenas partículas de água líquida ou de gelo, ou de ambos, suspensos na atmosfera e que em geral não toca o solo. Podem conter também partículas maiores de água líquida ou gelo e ainda partículas líquidas ou sólidas não derivadas de água como fumaça ou poeira.



O nome das nuvens


O nome das nuvens segue um esquema semelhante ao usado na Biologia e na Botânica para a classificação de animais e de plantas. No caso das nuvens temos três grandes áreas: gênero, espécie e variedade. Como acontece em outras ciências, o nome oficial das nuvens é todo em latim.


Há também duas classificações de nuvem adicionais: as nuvens especiais e as nuvens da atmosfera superior. Estas nuvens são muito diferentes da maioria das nuvens que vemos todos os dias. São raramente observadas, às vezes apenas em alguns locais do planeta ou em condições atmosféricas muito específicas.


O nome de uma nuvem é composto por apenas uma categoria de gênero e de espécie, mas pode ter mais de uma variedade. Pode ter ainda um nome para designar uma característica complementar da nuvem, uma porção que está total ou parcialmente integrada a uma massa de nuvens principal. E o nome completo de uma nuvem pode conter o nome de outra nuvem, se elas aparecerem juntas.


No fim da classificação, o nome de uma nuvem pode ficar tão comprido como o nome de reis e princesas.


Asperitas é uma característica especial


O nome "asperitas" aparece no conjunto de nomes que classificam uma nuvem para representar uma característica complementar. Foi catalogada oficialmente pela WMO na mais recente versão do Atlas Internacional de Nuvens publicado em 2017.


O que caracteriza uma asperitas é o aspecto ondulado na base da camada de nuvens, mas de forma caótica, sem tem ter uma organização horizontal. São estas ondulações que dão a aparência de rugosidade quando vemos a base da nuvem e que assusta muita gente.


Analisando a nuvem fotografada em Lago da Prata, na região de Minas Gerais conhecida como Alto São Francisco, podemos dizer que ela pertence ao gênero stratocumulus ou altocumulus, da espécie stratiformis, variedade opacus e com a característica complementar asperitas. Seu nome completo seria: stratocumulus stratiformis opacus asperitas ou altocumulus stratiformis opacus asperitas.


Independentemente do tamanho do nome, as nuvens revelam as transformações do nível de umidade e da temperatura da atmosfera, da direção e de intensidade dos ventos em diversos níveis. Saber ler as nuvens é parte do saber para prever o tempo.


Fotos:


Rafael Douglas Gomes, Lagoa da Prata (MG)

Janete Vagner Pereira, Lagoa da Prata (MG)



Fonte: https://goo.gl/rKQjMW



54 visualizações0 comentário