Duplo recorde de calor em Campo Grande (MS)


por Josélia Pegorim


Várias capitais do Centro-Oeste e do Sudeste poderiam bater recorde de calor para 2018 na tarde de 22 de janeiro, mas até às 20 horas apenas o recorde de Campo Grande, capital de Mato Grosso do Sul, pode ser confirmado.


Campo Grande teve duplo recorde de calor nesta segunda-feira, com a madrugada e a tarde mais quente de 2018 até agora. Pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia, a temperatura máxima foi de 34°C e a igualou a marca do domingo, 21 de janeiro. A temperatura mínima foi de 22,8°C, e o recorde anterior de 22,0°C no dia 18 de janeiro.


Outros recordes em capitais


Após a leitura das temperaturas máximas feita às 22 horas de 22 de janeiro pelo INMET, novos recordes de calor foram confirmados.


Em Brasília, o novo recorde não pode ser confirmado, pois o INMET não divulgou publicamente a temperatura máxima das 22 horas. Não consta do site do Instituto. A temperatura às16 horas do dia 22 de janeiro foi de 30,1°C. O recorde atual é 30,2°C.


Em Cuiabá, a temperatura máxima às 22 horas foi de 37,1°C e agora este é o novo recorde de calor para 2018. Às 16 horas (hora de Brasília), a máxima foi de 36,0°C .


Em São Paulo, a nova leitura das 22 horas mediu 31,8°C, novo recorde de calor superando a temperatura de 31,6°C, no dia 18 de janeiro. O Instituto Nacional de Meteorologia registrou 32,2°C no dia 22 na estação automática do Mirante de Sananta, mas este valor não pode ser considerado como o recorde. O recorde válido é com a leitura no modo convencional (leitura feita por uma pessoa em termômetro analógico).


Em Curitiba, capital do Paraná, não houve novo recorde após a leitura das 22 horas (Brasília). O recorde atual é de 29,8°C, em 5 de janeiro e às 16 horas, a temperatura máxima foi de 29,6°C.


A Climatempo adota como critério para recordes nas capitais brasileiras, as temperaturas extremas registradas nas estações meteorológicas chamadas de "convencional”, pois são as estações mais antigas do que as automáticas e possibilitam um período de tempo muito maior de comparação de dados para averiguação de recordes. Se não houver medição convencional, então adota-se o modo automático. Atualmente, o Instituto Nacional de Meteorologia usa as medições automáticas em Campo Grande em outras capitais brasileiras.


Calorão continua


A semana segue muito quente no Sudeste e no Centro-Oeste. Não há expectativa de nebulosidade e chuva persistentes suficientes para evitar o grande aquecimento do ar. As pancadas de chuva ocorrem, mas de forma eventual e antes da chuva ocorrem várias horas com sol forte.


O ar quente está espalhado por todo o país, incluindo o Sul. Até o fim da semana Curitiba, São Paulo, todas as capitais do Centro-Oeste e Belo Horizonte podem registrar novos recordes de calor. Não se pode descartar completamente a chance de recorde em Florianópolis, no Rio de Janeiro e até em Vitória.


Fonte: https://goo.gl/2qh9Ao


20 visualizações

O projeto Tempo de Aprender em Clima de Ensinar foi criado pela equipe do Laboratório de Meteorologia da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (LAMET/UENF), com o intuito de discutir com alunos e professores de escolas públicas as diferenças entre os conceitos de “tempo” e “clima” através de avaliações e estudos das características da atmosfera.

Criatividade Coletiva