Efeitos de erupções vulcânicas na atmosfera


Nova erupção do vulcão Anak Krakatoa

O vulcão Anak Krakatau (filho de Krakatoa, na tradução do javanês), que fica em uma ilha entre Java e Sumatra, na Indonésia, voltou a entrar em erupção na sexta-feira, 10 de abril de 2020. Segundo as agências de notícias, não houve vítimas, mas na manhã do sábado, 12, o vulcão ainda estava erupção contínua.

Este vulcão é filho do conhecido vulcão Krakatoa, que teve uma erupção violenta em 1883. A pluma de fumaça deste vulcão persistiu por muito tempo na atmosfera causando período de resfriamento atmosférico global.

Segundo informações do serviço meteorológico da Islândia, desde o final de janeiro foram registrados cerca de 8 mil tremores de terra. As elevações de magma chegaram há 10 cm, o que traz o alerta de que a atividade vulcânica possa aumentar ainda mais.

Dessa forma, cientistas temem que durante o aumento da atividade sísmica na região, a atividade vulcânica possa se estender por décadas. Há o risco da lava fluir em direção à cidade de Grindavík impactando e trazendo risco a vida a diversas pessoas.

Um pouco da história da família Krakatoa

Já houve um dia uma ilha chamada Krakatoa, onde estava o vulcão Krakatoa. Mas em 26 de agosto de 1883 ocorreu uma violenta erupção do vulcão e a ilha sumiu do mapa.

Esta erupção de 1883 foi a maior já ocorrida do vulcão Krakatoa. Foi o maior número de mortes associado a uma atividade vulcânica, com cerca de 36000 vítimas fatais.

Com o tempo, começou a emergir da cratera uma formação rochosa que foi batizada de Anak Krakatoa, o filho de Krakatoa.

O vulcão Anak Krakatoa, surgiu do que sobrou da grandiosa erupção do vulcão Krakatoa, o “pai”. A última vez que o Anak Krakatoa teve uma grande erupção foi no ano de 2018, que provocou uma tsunami e matou 437 pessoas. Embora a erupção tenha ocorrido em dezembro de 2018, o vulcão já mostrava sinais de atividade seis meses antes, a partir de junho.

Nuvens Pirocumulus

Durante o processo de erupção vulcânica, ocorre a formação de um tipo bem específico de nuvem, que é a pirocumulus, ou nuvem de fogo.

Esse tipo de nebulosidade possui uma turbulência intensa, que por sua vez provoca fortes rajadas de vento em superfície e até raios podem ser observados. Isso porque partículas de rochas formadas pelo magma também são lançadas na atmosfera em forma de cinzas. Essas rochas batem uma nas outras e acabam por gerar cargas elétricas que dão origem ao raio.

Aerossóis vulcânicos

O aerossol vulcânico é um dos três tipos que afetam diretamente o clima da Terra. Os outros dois são os desérticos e os de ação humana. Aqui, vamos nos concentrar nos aerossóis provenientes dos vulcões e a sua ação direta na atmosfera.

Algumas erupções vulcânicas são tão fortes que podem lançar partículas de aerossol em camadas muito altas da atmosfera, como na estratosfera que fica a uma altura compreendida entre 15km e 50km. A composição dominante neste tipo de aerossol é o dióxido de enxofre (SO2) que pode ser convertido em gotas ácido sulfúrico (H2SO4). Quando em contato com a água compreendida na atmosfera, essa concentração pode durar até meses após a erupção.

Ventos da estratosfera transportam esses aerossóis praticamente por todo o globo terrestre que, uma vez formado, pode circular pela atmosfera por um período de até dois anos.

Os aerossóis vulcânicos refletem a luz do sol, o que reduz a energia que chega na superfície terrestre. Dessa forma, a temperatura local tende a diminuir, uma vez que ocorre a diminuição da luz solar.

Fonte

#vulcão #nuvens #Atmosfera

32 visualizações

O projeto Tempo de Aprender em Clima de Ensinar foi criado pela equipe do Laboratório de Meteorologia da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (LAMET/UENF), com o intuito de discutir com alunos e professores de escolas públicas as diferenças entre os conceitos de “tempo” e “clima” através de avaliações e estudos das características da atmosfera.

Criatividade Coletiva