Umidade do ar cai e chega a 16% no interior de Pernambuco


A massa de ar seco que cobre grande parte da região central do Brasil determina uma tarde seca com índices de umidade muito baixos em algumas localidades do Brasil, nesta tarde de segunda-feira.

Foto: Ricardo Oliveira - Livramento de Nossa Senhora - Bahia

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), por volta das 15 horas, horário de Brasília, a umidade relativa do ar era de 16% em Cabrobó, no interior de Pernambuco e 19% em Ourinhos, no interior paulista, o que caracteriza nível de alerta.

Neste mesmo horário, no Paraná, o índice de umidade era de 21% em Joaquim Távora, 22% em Nova Fátima e Japira e nas cidades paulistas de Bauru e Itapeva, umidade de 25% e 26%, respectivamente. A situação nesta tarde também é de atenção com 30% de umidade em três cidade do Mato Grosso do Sul. São elas: Juti, Sete Quedas e Costa Rica. A umidade baixou para 29% em Alto Taquari (MT).

Ar seco preocupa

Os principais efeitos da baixa umidade são secura na garganta e nos olhos e problemas respiratórios. O ar seco é preocupante, já que no outono/inverno, é comum a umidade relativa do ar nas grandes cidades cair até abaixo dos 30%. O ideal, de acordo com a OMS - Organização Mundial de Saúde, é que ocorra uma variação entre 50 e 80%. É por isso que, quando os níveis estão entre 20 e 30%, as regiões entram em estado de atenção.

A população deve se manter informada com a defesa civil de seus estados, mas independentemente de qualquer aviso, a hidratação através da ingestão de muito líquido torna-se importante.

Fonte

#Umidade #Arseco

13 visualizações

O projeto Tempo de Aprender em Clima de Ensinar foi criado pela equipe do Laboratório de Meteorologia da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (LAMET/UENF), com o intuito de discutir com alunos e professores de escolas públicas as diferenças entre os conceitos de “tempo” e “clima” através de avaliações e estudos das características da atmosfera.

Criatividade Coletiva