Calor de verão e secura de inverno em SP

No estado paulista, assim como na Região Metropolitana de São Paulo, a quinta-feira será marcada pelo tempo seco, temperaturas em elevação e umidade do ar em queda.


Por Noele Brito


As temperaturas se elevam no decorrer do dia com previsão de máxima de 29°C na cidade de São Paulo, podendo ser a maior temperatura do inverno de 2022, até agora.

De acordo com a estação automática do Mirante de Santana (INMET), a maior temperatura máxima do inverno em 2021, na estação do Mirante de Santana (zona norte de São Paulo), foi de 35,9°C em 20/09/2021 e a maior temperatura de agosto de 2021 foi de 32,4°C em 24/08/2021. Já em 2022 , o registro atual de maior máxima do inverno é de 28,1°C no dia 16/07/2022.

Enquanto as temperaturas estão mais elevadas neste inverno, a umidade relativa do ar continua comprometida em São Paulo, apresentando valores em estado de atenção (abaixo dos 30%) e em estado de alerta (abaixo dos 20%), conforme dados abaixo:

Umidade Relativa do Ar (%)

Na última quarta-feira (03) 19 estações no estado de São Paulo registraram umidade do ar abaixo dos 30% ou dos 20%, segundo dados do INMET, como por exemplo:

São Paulo (Mirante de Santana): 28%

Pradópolis: 19% Lins: 19% Ibitinga: 20% Casabranca: 20% Piracicaba: 21% Ituverava: 22% Rancharia: 23% São Carlos: 24% Bauru: 24% Sorocaba: 24% Franca: 25%

Lembrando que o aumento do número de focos de queimadas, problemas do trato respiratório e queda na umidade relativa do ar são consequências do ar seco. Por isso, vale sempre lembrar da importância de reforçar a hidratação, bebendo bastante água ao longo do dia.





E toda essa secura continua?

A resposta é... sim!

A maior parte do interior de São Paulo ainda deve registrar umidade do ar abaixo dos 20%, como no norte e oeste do estado e abaixo dos 30% na Grande São Paulo e faixa leste do estado.

Quando deve melhorar?

Na sexta-feira (05), o avanço de uma frente fria pela costa do Sudeste do país, deve causar chuva apenas no litoral e parte do Vale do Ribeira, contudo a umidade já não fica em estado crítico em áreas como a capital paulista, Sorocaba e Presidente Prudente, por exemplo.

4 visualizações0 comentário