Julho de 2021 foi o mês mais quente na história do planeta

O mês de julho de 2021 se estabeleceu como o mês mais quente do mundo em 142 anos de registros. Com esse novo recorde, é muito provável que o ano de 2021 entre no ranking dos 10 anos mais quentes registrados.


Por Paola Bueno



Em julho de 2021 um novo recorde de maior temperatura do mundo foi registrado no Vale da Morte, Califórnia, Estados Unidos. Imagem: Reuters.


O mês de julho de 2021 foi o julho mais quente da Terra desde o início dos registros globais que datam de 1880, com uma temperatura média 0.93°C acima da média do século 20, segundo o Centro Nacional de Informações Ambientais (NCEI, em inglês) da agência norte-americana NOAA.


Julho é tipicamente o mês mais quente do ano para o planeta, mas julho de 2021 se superou, não só sendo o julho mais quente mas também o mês mais quente já registrado. Esse novo recorde se inclui ao cenário perturbador que as mudanças climáticas estabeleceram para o planeta (disse o administrador da NOAA, Rick Spinrad)

Já que o mês de julho também é, climatologicamente, o mês mais quente do ano, por causa do verão no Hemisfério Norte, é bem provável que o último mês tenha sido o mais quente da história global. Julho de 2021 esteve apenas 0.01°C acima do recorde anterior de Julho de 2016, 2019 e 2020, o que coloca esses meses em um empate estatístico.




O calor exacerbado de julho é particularmente espantoso, pois nesse ano tivemos um evento de La Niña de intensidade moderada no Oceano Pacífico Tropical, que atingiu seu pico em novembro de 2020 e terminou em maio deste ano. Eventos de La Niña geralmente proporcionam um esfriamento da temperatura média global, algo em torno de 0.1°C. O pico de esfriamento ocorre, geralmente, cinco meses após o pico da La Niña. Isso nos faz pensar que julho poderia ter sido ainda mais quente se a La Niña não tivesse ocorrido!


O calor foi muito mais intenso nos continentes do que no oceano. Para os oceanos, esse foi o sexto julho mais quente dos registros, enquanto que os continentes experimentaram o julho mais quente da história. No Hemisfério Norte o calor sobre os continentes foi ainda mais extremo, 1.54°C acima da média, batendo o recorde anterior de 2012.



O período de janeiro a julho de 2021 foi classificado como o sexto mais quente dos registros. De acordo com as previsões do NCEI, é praticamente certo que o ano de 2021 fique entre os 10 anos mais quentes da história, e muito provavelmente (95% de probabilidade) ficará com a sexta ou sétima posição nesse preocupante ranking.


Extremos climáticos espalhados por todo mundo

Além do recorde global de aquecimento, o mês de julho também foi marcado pela ocorrência de vários eventos extremos climáticos pelo mundo. Relembre alguns deles:


  • Na América do Norte ondas de calor escaldantes fizeram com que os termômetros registrassem vários recordes em estados do oeste dos Estados Unidos (Califórnia, Oregon, Washington e Nevada);

  • Um novo recorde mundial de temperatura mais quente medida em superfície foi registrado no Vale da Morte, Califórnia, de 54.4°C;

  • Um novo recorde de maior temperatura mínima registrada no mundo também foi batida no dia 11 de julho, quando a menor temperatura do dia foi de 42°C em Stovepipe Wells, Califórnia (EUA);

  • Partes da Europa enfrentaram o pior episódio de inundações em décadas, causando centenas de mortes e prejuízos de pelo menos 25 bilhões de dólares;

  • No dia 20 de julho, Zhengzhou, na China, sofreu com um episódio inacreditável de chuva. Impressionantes 644 mm de chuva foram acumulados em 24 horas, número maior que o esperado para o ano inteiro.

44 visualizações0 comentário