Lista da FAO inclui três cidades brasileiras entre as mais arborizadas do mundo

Campo Grande e São Carlos recebem distinção pelo segundo ano consecutivo; Brasil é único país lusófono na relação que inclui seis continentes; objetivo é promover espaços verdes e o bem-estar das pessoas em centros urbanos.


Por ONU BR


Unsplash/Jann And - Floresta vertical em Milão, Itália, também na lista das cidades comprometidas com o futuro da vida sustentável.


A Fundação Arbor Day e a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, FAO, anunciaram as cidades reconhecidas por meio do programa Cidades de Árvores do Mundo.


Este ano, foram escolhidos 120 centros urbanos incluindo São Carlos e Campo Grande, pelo segundo ano consecutivo, assim como São José dos Campos.





India e México

A seleção agraciou capitais em seis continentes. O país campeão da lista é os Estados Unidos com 38 cidades incluindo Nova Iorque, São Francisco e Germantown, no estado do Tennessee. Guadalajara, no México; Toronto, no Canadá e Hyderabad, na Índia também receberam o título de Cidades de Árvores do mundo. A lista completa de comunidades reconhecidas está disponível aqui. 


Compromisso

Para receber esse reconhecimento, cada uma dessas cidades teve de provar seu compromisso com as árvores e a silvicultura, atendendo a cinco padrões de qualificação relacionados ao manejo e à celebração das florestas urbanas. As cidades eleitas este ano farão parte de uma rede que continua a crescer, proporcionando uma oportunidade de aprender umas das outras, enquanto buscam a excelência em silvicultura urbana. Dan Lambe, presidente da Fundação Arbor Day Foundation, deu as boas-vindas às cidade reconhecidas e disse que os benefícios que as árvores proporcionam às áreas urbanas são imensuráveis.


O programa

O programa Cidades de Árvores do Mundo é uma parceria da FAO e da Fundação Arbor Day, lançada em 2019, para conectar cidades ao redor do mundo em uma rede dedicada a adotar as abordagens mais bem-sucedidas para o manejo de árvores e florestas urbanas. A primeira Conferência das Cidades Árvores do Mundo foi realizada virtualmente em outubro de 2020. O reconhecimento por meio do programa Cidades de Árvores representa o primeiro passo para alcançar uma visão verde para a qualificação de cidades. Para a vice-diretora-geral da FAO, Maria Helena Semedo, as florestas e árvores urbanas são elementos-chave do desenvolvimento urbano sustentável, mas, acima de tudo, ajudam as cidades a se tornarem lugares mais verdes, saudáveis e felizes para se viver. A Iniciativa Cidades Verdes da FAO reunindo a agenda alimentar urbana com objetivos socioeconômicos e ambientais visa melhorar o bem estar das pessoas ao promover espaços verdes, indústrias, economias e um estilo de vida verdes por meio da integração das áreas urbanas e periurbanas, silvicultura e sistemas agroalimentares sustentáveis no planejamento urbano.

45 visualizações0 comentário