Onda de calor pode ter matado mais de 500 no Canadá

País investiga centenas de mortes súbitas como diretamente relacionadas às temperaturas recordes que atingiram a região oeste, enquanto tenta combater mais de 170 incêndios florestais.


Por DW Brasil



Incêndio na Colúmbia Britânica: província foi a mais atingida pelo fogo


As autoridades canadenses investigam mais de 500 mortes como possivelmente causadas por uma onda de calor histórica, com temperaturas próximas a 50 graus Celsius, que atingiu o oeste do país na última semana de junho.


O fenômeno, apelidado como domo ou cúpula de calor, foi responsável não apenas pela temperatura mais alta já registrada na história canadense, como está na origem de dezenas de incêndios florestais e inundações no oeste do país.


As centenas de mortes ocorreram nos estados de Washington, Oregon e Colúmbia Britânica. Este último registrou a temperatura mais alta da história do Canadá, 49,6 graus Celsius, no dia 29 de junho.


A onda de calor se iniciou em 25 de junho e só começou a arrefecer um pouco em algumas áreas na quarta-feira passada (30/06), quando começaram tempestades e incêndios.


Mortes devem aumentar

Segundo Lisa Lapointe, diretora forense da província de Colúmbia Britânica, a região mais atingida pela onda de calor, o número de mortes registrado na última semana chegou a 719.


O número é três vezes superior ao normal, o que leva as autoridades a estimarem que mais de 500 mortes foram consequência direta da onda de calor.

"Estamos divulgando esta informação porque é provável que as condições climáticas extremas que a Colúmbia Britânica experimentou na semana passada tenham sido um fator significativo que contribuiu para o aumento no número de mortes", disse Lapointe em comunicado.


A especialista admite que este número é crescente e será atualizado nos próximos dias. Muitas das vítimas são idosos, que vivem sozinhos e em casas sem ar condicionado, e não estão preparados para as elevadas temperaturas.


"Aquecimento global é real"

Segundo dados do Serviço de Incêndios Florestais da Colúmbia Britânica, na última semana ocorreram 245 incêndios, dos quais 176 ainda estão ativos. Mais de 70 começaram nos últimos dois dias.


Quase 70% dos incêndios foram causados por relâmpagos que encontraram condições de seca perfeitas para incêndios florestais. Em 15 horas, entre quarta e quinta-feira, 113 mil relâmpagos foram registados apenas na Colúmbia Britânica.


"Temos provas de que o aquecimento global é real. Infelizmente, já estamos vivendo isso, não é o futuro. Está aqui. Por isso espero que as pessoas se preparem, pois é provável que o vejamos com mais frequência", explicou Natalie Hasell, meteorologista do Ministério do Ambiente e Mudanças Climáticas do Canadá.


rpr (AP, Reuters)

7 visualizações0 comentário