2018 pode terminar em El Niño?


por Josélia Pegorim


O ano de 2018 começou com uma La Niña fraca e poderá terminar em uma situação oposta, com um El Niño. Esta é até relativamente alta, pelo relatório mais recente sobre o ENSO (El Niño/Southern Oscillation, na sigla em inglês), divulgado julho de 2018 pelo CPC, NCEP e NOAA-NWS (*), dos Estados Unidos, principais centros de pesquisa científica que monitoram fenômenos como El Niño e La Niña e o clima global.


Para os centros de pesquisas atmosféricas norte-americanos e também para o Bureau of Meteorology do governo da Austrália, país que tem profundas mudanças no seu clima com El Niño e La Niña, o planeta entrou em “El Niño Watch” em julho de 2018. Isto quer dizer: atenção, um El Niño poderá surgir.


O resumo do relatório diz:


ENSO Alert System Status: El Niño Watch

(Status de ENSO: El Niño Atenção)


ENSO-neutral conditions are present.*

(situação atual é de ENSO neutro)


Equatorial sea surface temperatures (SSTs) are near-to-above average across most of the Pacific Ocean.

(temperatura superficial da água do mar está próxima da média na maior parte do oceano Pacífico)


ENSO-neutral is favored through Northern Hemisphere summer 2018, with the chance for El Niño increasing to about 65% during fall, and to about 70% during winter 2018-19


(situação de neutralidade durante o verão (inverno) de 2018 no Hemisfério Norte (Sul), com 65% de chance de um El Niño no outono (primavera) e aumentando para 70% de chance no inverno (verão) 2018/2019).



Não é El Niño (ainda)

É preciso ter cautela e ter atenção para usar a linguagem correta para falar sobre El Niño agora, em julho de 2018. Tecnicamente não podemos dizer que estamos em El Niño, que o fenômeno já está atuando. Por enquanto, no restante do inverno e na primavera do Hemisfério Sul, podemos dizer que “um El Niño está em formação”, “a temperatura da água da porção central-leste do Pacífico Equatorial está evoluindo para um El Niño”.


Vários critérios precisam ser verificados até que bata o martelo e se tenha toda a certeza de que, sim, El Niño se formou novamente.



El Niño e La Niña alteram o clima no planeta

El Niño e La Niña são fenômenos de escala planetária que interferem no clima de muitos países, tanto do Hemisfério Sul como do Hemisfério Norte. Em alguns locais do planeta, o El Niño é benéfico e em outros não. Em anos de El Niño, o estado da Califórnia, nos Estados Unidos, que sofre com secas e escassez de água, é beneficiado com mais chuva. No Brasil, em anos de El Niño, o Nordeste sofre mais com a seca.


O El Nino (La Niña) de um biênio pode ser parecido com outro biênio, mas não igual. Os mapas mostram os efeitos médios mais comuns que ocorrem no planeta em anos de El Niño e de La Niña, no verão e no inverno.


(*) CPC - Climate Prediction Center


NCEP - National Centers for Environmental Prediction

NOAA-NWS - NOAA/National Weather Service

NOAA - National Oceanic and Atmospheric Administration


Fonte: https://goo.gl/Y1jKQk


46 visualizações0 comentário

O projeto Tempo de Aprender em Clima de Ensinar foi criado pela equipe do Laboratório de Meteorologia da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (LAMET/UENF), com o intuito de discutir com alunos e professores de escolas públicas as diferenças entre os conceitos de “tempo” e “clima” através de avaliações e estudos das características da atmosfera.

Criatividade Coletiva