Câmera registra fenômeno raro no interior de MG, veja o vídeo exclusivo

Por Samira Avelar


Fênomeno raro

Uma das câmeras do Clima ao Vivo em parceria com o Grupo Vertentes em São Francisco de Paula/MG registraram uma incrível Buraco FallStreak na manhã do último domingo (03).

O que são Buracos FallStreak?

Buraco FallStreak é um tipo de formação cuja característica principal é uma abertura em formato circular. Esses buracos são formados quando a temperatura da água nas nuvens está abaixo do congelamento, mas a água não congelou ainda devido à falta de nucleação das partículas de gelo.

Quando uma porção de água inicia o congelamento, desencadeia um efeito dominó, fazendo o vapor ao redor dela congelar e assim cair para o solo. Isso deixa um grande buraco, muitas vezes circular, na nuvem.

Os buracos também costumam apresentar nuvens no mesmo nível ou mais baixas, geralmente Cirrus, na região central, em forma de virga. Uma explicação seria que a precipitação que origina o buraco cria uma nova descompressão ao cair, com o vácuo atraindo as nuvens próximas para o centro e para baixo. Outra explicação é que a perturbação causada pela precipitação, de alguma maneira, geraria a formação de novas nuvens.

Como o tráfego aéreo afeta na formação dos Buracos FallStreak?

Muitos rastros de dissipação e buracos fallstreak são fotografados por satélite, em regiões de grande tráfego aéreo. O vácuo do deslocamento das aeronaves cria condições para a precipitação de apenas uma parte do material suspenso, apesar dos motivos disso ainda não terem sido precisamente identificados.

Quanto às nuvens da parte central do buraco, elas também deixam questões. Algumas vezes, se estendem profundamente na direção do chão, como se alguma coisa mais densa que a chuva tivesse mergulhado para o solo através da cortina de nuvens. Outras vezes, sua composição é consideravelmente diferente das que se encontram ao redor da formação, sugerindo que não foram elas as atraídas para a posição ou, ainda, estão altas demais para evidenciar que a precipitação inicial as formou. Os cientistas explicam que quando um avião atravessa nuvens a menos de -10ºC, chamadas super frias pelos investigadores, o efeito das hélices pode ser suficiente para congelar espontaneamente as pequenas gotas de água da nuvem e formar cristais de gelo que vão crescendo à medida que mais gotas se vão unindo à “bola de gelo”. É precisamente esta reação em cadeia de formação de cristais de gelo, que pode durar várias horas depois da passagem de um avião, que dá lugar aos buracos nas nuvens.

55 visualizações0 comentário

O projeto Tempo de Aprender em Clima de Ensinar foi criado pela equipe do Laboratório de Meteorologia da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (LAMET/UENF), com o intuito de discutir com alunos e professores de escolas públicas as diferenças entre os conceitos de “tempo” e “clima” através de avaliações e estudos das características da atmosfera.

Criatividade Coletiva